Obesidade Mórbida

A obesidade é um dos problemas que tem vindo a crescer a nível de número de doentes, principalmente nas sociedades industrializadas onde o estilo de vida levada é propício ao surgimento desta doença, uma má alimentação e o sedentarismo. Com todo este crescimento, há já quem considere que a obesidade é a epidemia do séc. XXI ou mesmo um grave problema de saúde pública, mesmo sendo um problema que (na maioria dos casos) depende do tipo de vida que a pessoa leva.

Atualmente o nosso País detém a maior taxa de obesidade infantil de toda a Europa, sendo que essa taxa traduz-se em cerca de 1 milhão de crianças que sofrem de obesidade, e cerca 200 a 300 mil doentes com a tão falada obesidade mórbida. Infelizmente este valor, ao longo dos últimos anos, tem vindo a cresce de uma forma exponencial, principalmente devido ao sedentarismo que está intrínseco na vida dos portugueses.

A obesidade mórbida ocorre quando a pessoa tem um IMC (Índice de Massa Corporal) superior a 40. Este valor é calculado tendo em conta o peso e a altura da pessoa (IMC = peso / (altura)2), sendo que os valores variam entre os 18,5 até aos 40. Como é lógico, valores abaixo dos 18,5 estão muito abaixo do peso ideal para a sua altura, e valores acima de 25 já podem se consideradas pessoas com excesso de peso, mas são as pessoas com IMC superior a 40 que estão com um problema de saúde que pode mesmo trazer bastantes riscos futuros.

Nos dias de hoje, o tratamento mais procurado por quem sofre de obesidade mórbida é a cirurgia, já que é um dos métodos mais eficazes no tratamento da obesidade. Estes tratamentos têm como base principal reduzir o “volume” do estômago, através de uma banda gástrica ou de um “sleeve”, fazendo assim com que a pessoa necessite de ingerir muito menos comida para se sentir saciada. Há ainda um outro tipo de tratamento, bastante mais extenso, que além da redução no volume do estômago, incluem também a exclusão de segmentos do intestino e da passagem da bílis e enzinas digestivas, como por exemplo o Bypass Gástrico. Este tipo de tratamento não é o mais frequente, e é apenas usado em casos extremos onde a cirurgia normal não teria qualquer efeito.

Devido ao enorme aumento de doentes com obesidade mórbida em Portugal, são cada vez mais as clínicas e hospitais a garantir este tipo de procedimento cirúrgico para quem necessitar. Porém, apenas seguem este tratamento aqueles doentes que os médicos assim aconselharem, pois existem algumas condições necessárias para se submeter ao tratamento. Se está numa situação destas e pensa que a única solução é mesmo a cirurgia bariática, então antes de iniciar qualquer tipo de tratamento deve se aconselhar com um médico especialista e ver todas as hipóteses possíveis para o seu caso.

Em suma, obesidade mórbida acontece quando a pessoa tem um IMC acima dos 40, concluindo assim que tem peso a mais para a altura que tem. Há vários tratamentos que deve tentar antes de iniciar o procedimento da cirurgia, e sempre que possível deve evitar este tratamento, pois quem sofre de obesidade mórbida já tem vários problemas de saúde associados que podem ser agravados com a cirurgia.

Deixe o seu comentário

*